Ele toca brasileiro

"Há alguns anos comentei com o grande Oscar Cáceres (violonista uruguaio que leciona há longos anos em Paris, e é concertista dos mais conceituados) que havia conhecido um excelente instrumentista que, além do mais, compunha muito bem. Mostrei pra ele, um dia, um programa que fiz na TVE - e para o qual convidei o jovem Nonato Luiz para acompanhar duas divas da nossa música popular, infelizmente já desaparecidas: Nora Ney e Isaurinha Garcia. Nonato trouxe um álbum com músicas suas, conheceu Oscar pessoalmente aqui em casa - e um dia deu-se a surpresa: o Mestre havia incluído uma de suas composições em seu repertório. Sobre Nonato, posso apenas repetir o que digo sempre: é um compositor inspirado e dono de uma técnica límpida, um som quase celestial que extrai de seu instrumento. Somos parceiros em apenas uma só música, e por culpa de meu relaxamento. Nosso comum amigo Abel Silva sempre quis nos aproximar nessa área, mas acho que eu, sempre assoberbado (e o Nonato com agenda sempre lotada) tivemos pouco tempo para assumir essa parceria. Outra coisa: ele toca brasileiro. Isso significa tocar com a ancestralidade que o violão carrega desde João Pernambuco, passando Por Levino da Conceição, Villa-Lobos, Quincas Laranjeira, Bonfá, Dilermando Reis, Garoto, Baden Powell - e tudo isso desaguando em suas seis cordas mágicas, como síntese perfeita de nossa nacionalidade. "

Herminio Bello de Carvalho é compositor, poeta e produtor musical - Jornal O Povo - Fortaleza CE - 29/04/2004

 
  Nonato Luiz: nonato@nonatoluiz.com.br Forma Criativa